segunda-feira, 8 de março de 2010

Desmoralizada: Revista Veja é desmentida mais uma vez, e ainda dá crédito a promotor acusado de praticar crimes

E a guerra midiática já começou. Lembram-se do encontro dos barões da mídia que decidiram atacar o Governo Lula, Dilma e o PT? Pois é! Os ataques estão chegando e ao mesmo tempo estão caindo por terra. Caindo por terra devido à “falta de criatividade” desses barões. Reproduzem denúncias arquivadas há anos por não haverem provas e ainda se utilizam de um indivíduo acusado de praticar diversos crimes.

A pérola da vez vem da velha Revista Veja, a qual estampou em sua capa no último final de semana uma denúncia arquivada em 2005, por falta de provas, contra um membro do PT. Reparem! Em 2005, vésperas da eleição presindencial em que Lula disputou a reeleição. Coincidência, não? Requentam as mesmas denúncias arquivadas por falta de provas.

E o pior vem agora. Sabe quem “organizou” a denúncia requentada? Um promotor de justiça de São Paulo chamado José Carlos Blat (foto). Vocês querem conhecer um pouco da história deste cidadão? Muito bem! Vou tentar resumir a ficha do camarada que está espalhada pela Blogosfera no país.

"O promotor de Justiça José Carlos Blat já respondeu processo no MP-SP (Ministério Público de São Paulo) acusado de tentar se livrar de multas do Detran e de tentar beneficiar investigados pelo Gaeco (Grupo de Atuação Especial e Repressão ao Crime Organizado)

No fim de 2004, a Corregedoria do Ministério Público decidiu levar essas investigações a fundo. A Corregedoria disse ter encontrado indícios de crimes mais graves contra o promotor. As primeiras investigações contra Blat colocaram em xeque suas ações contra desmanches de veículos roubados.

Blat também foi acusado de proteger o contrabandista chinês Law Kin Chong, preso em São Paulo. Em 2002, quando participou de uma força-tarefa antipirataria, ele teria dirigido o foco da investigação somente contra os pequenos contrabandistas, deixando Law livre para atuar.

Sobre Blat pesam também as seguintes suspeitas: usar veículos e pessoal do Gaeco para interesses pessoais, negociar com um delegado a liberação de seu pai, que teria sido preso em flagrante por armazenar bens roubados, abuso de autoridade, truculência e suspeita de enriquecimento ilícito.

O procurador de Justiça Antonio Ferreira Pinto, que atuou nas investigações sobre Blat, se diz indignado com o pedido de arquivamento dos processos contra promotor de Justiça José Carlos Blat."

Leia a matéria completa sobre o histórico do promotor José Carlos Blat clicando AQUI no Blog Os Amigos do Presidente Lula.

Leia também AQUI a matéria publicada no Blog Conversa Afiada, do jornalista Paulo Henrique Amorim, sobre uma nota em que a Revista Veja é desmentida.

5 comentários:

Anônimo disse...

oxente! cadê a reportagem da bancoop? essa notícia só tem um lado?

Júnior Miranda disse...

Ué anônimo, o "outro lado" tá na Revista Veja. Conferi lá.

Anônimo disse...

não rapaiz. lá num tem graça de ler.tinha que ser aqui.

Severo/PB/SP disse...

Quem tem Eduardo Azeredo, FHC,

Roberto Arruda,Leonardo Prudente,

Diogo Mainardi( o doido) não tem

moral pra falar mal nem de Maluf e

Pitta.

Júnior Miranda disse...

Pelo que vc disse anônimo, a VEJA tá sem graça mesmo e cada vez mais sem credibilidade.(rsrs)

Clicky Web Analytics