domingo, 31 de outubro de 2010

O amor venceu o ódio: Dilma Rousseff, a primeira mulher presidente do Brasil!

É hora de escolher o Brasil que dá certo: Dilma Presidente. Vote 13


Agora falta pouco; quase nada. O futuro, hoje, está na ponta dos nossos dedos. Digitar 13 é começar a escrever um novo capítulo da História. É consolidar a construção deste outro Brasil que Lula e Dilma provaram ser possível. É eleger a primeira mulher presidente da República, e dizer que a esperança e o amor vencem o medo e o ódio.

sábado, 30 de outubro de 2010

Veja zomba o Presidente Lula mais uma vez... E o povo brasileiro zomba ainda mais da Veja

Taí abaixo a última capa da revista Veja antes do 2º turno da eleição de 2010. Não é brincadeira. Essa é a revista semanal mais "séria" do país. Dá pra notar, não é?

Então, o que dizer deste presidente operário e nordestino, ridicularizado pela Óia, recebendo a aprovação de mais de 83% do povo brasileiro? É, ou não é uma “zombação” danada na revista Óia?

Clique aqui e aqui e conheça um pouco do histórico da Óia

Debate na Globo: eleitores indecisos pedem autógrafos a Dilma após o debate e o diretor de jornalismo da Globo, Ali Kamel, tenta impedir

O sociólogo Emir Sader, que estava na plateia durante o debate na Rede Globo na noite de ontem, revelou em seu twitter um fato no mínimo inusitado que aconteceu nos bastidores do debate.

Terminado o debate, um montão de indecisos foi em busca de autógrafos de Dilma, numa demonstração clara de admiração e carinho. Porém, diante da popularidade de Dilma junto aos eleitores indecisos que a própria Globo escolheu para participar do debate, o diretor de jornalismo da emissora, o Ali Kamel, teve um surto de desespero e ficou “brabo” com o assédio dos eleitores à candidata petista.

"No final um montão dos indecisos foi pedir autógrafo pra Dilma. E o Ali Kamel, desesperado: 'Tirem a sua candidata, não da para dar 80 autografos'.", revelou Emir Sader.

Quem conquistou os indecisos?


Como uma imagem vale mais que mil palavras...

quinta-feira, 28 de outubro de 2010

O Pré-sal é nosso! Não deixe que Serra e FHC privatizem e entreguem o nosso petróleo às empresas estrangeiras

Pré-sal confirma: Petrobras é símbolo de orgulho do povo brasileiro


Foto: Presidente Lula durante visita ao navio-plataforma FPSO Cidade de Angra dos Reis no Campo de Tupi, da Bacia de Santos. (Ricardo Stuckert/PR)

O início da exploração comercial de petróleo da camada pré-sal hoje no Campo de Tupi, no litoral do Rio de Janeiro, só confirma a importância da Petrobras para o Brasil, afirmou o presidente Lula em breve discurso realizado após visitar o navio-plataforma responsável pela extração. Afirmando ser, sem sombra de dúvida, o presidente da República mais feliz do mundo no momento, Lula disse que está ainda mais convicto de que a Petrobras é o grande símbolo de orgulho do povo brasileiro.

“Quando a gente quiser lembrar de uma coisa competente, uma coisa que dá certo, a gente tem que lembrar da Petrobras, porque ela com o seu corpo de funcionários, engenheiros, geólogos”, elogiou o presidente, acrescentando que ela é importante não apenas pelo seu valor de mercado, mas também pela qualidade de seus funcionários.

Fonte: Blog do Planalto

Mulheres se revoltam com declaração de José Serra em Minas Gerais. O tucano pediu que as “meninas bonitas” se ofereçam aos rapazes para conseguir votos para ele

O candidato tucano, José Serra, gerou uma nova onda de protestos na internet, no início da noite desta quinta-feira, por parte das mulheres que se sentiram ofendidas com o pedido do candidato, feito no encerramento do discurso em Uberlândia, no Triângulo Mineiro, para uma plateia de cabos eleitorais e convidados. Ele apelou para que para as “meninas bonitas” busquem convencer os seus pretendentes masculinos a votar nele, principalmente na internet. (veja também aqui)

– Quero me concentrar agora no que vamos fazer até domingo. Temos que não apenas votar, temos que ganhar voto de quem está indeciso, voto de quem não está ainda muito decidido do outro lado – argumentou o candidato.

Segundo o candidato tucano, mulheres bonitas têm mais condições de cabalar votos para a aliança da direita.

– Se é menina bonita, tem que ganhar 15 (votos). É muito simples: faz a lista de pretendentes e manda e-mail dizendo que vai ter mais chance quem votar no 45 – completou.

A proposta caiu mal para as mulheres brasileiras que, no Twitter, alçaram o primeiro lugar nos trends (assuntos mais debatidos nas redes sociais) nacionais e terceiro lugar, em nível mundial, com as mensagens de protesto contra o candidato.

“Sou mineira e bonita, mas não tenho tenho vocação pra trabalho de bordel”, escreveu @fiz_mesmo, seguida de @velvetinha: “Credo, o Serra é antigo, que ideia mais triste, gente. Ele imagina as meninas coqueteando para ganhar votos. Perai, vou ali vomitar”.

Os protestos foram rastreados pela tag #serracafetao, que chegou ao terceiro lugar em nível mundial, no início da noite. O internauta @emrsn ponderou que “por muito menos o Ciro foi mega desacreditado pela imprensa”, e @purafor pergunta se esta seria uma proposta do candidato para se criar “um bordel a nível nacional”. Enquanto isso, @rodrigonc, que não deve passar dos 14 anos, aproveita para entrar na discussão, “só avisando às meninas bonitas do Twitter: podem me mandar DM (mensagem direta, na tradução do inglês) que a gente já pode negociar esse voto”.

O internauta @luisfelipesilva acirra o debate ao constatar que “não tem profissão mais ingrata do que ser marketeiro do Serra, haja gafe…”, mas coube à internauta @alessandra_st colocar o tom do protesto: “Serra desvaloriza a mulher e subestima eleitorado feminino em MG”, concluiu.


Serra, mulher tem cérebro, você sabia?


O senhor José Serra está, como todos sabem, fazendo uma campanha que apela para preconceitos e explorações as mais baixas.

Em geral, faz isso com ataques desrespeitosos a Dilma Rousseff.

Hoje, porém, ele ofendeu todas as mulheres.

Ao pedir a eleitoras, em Uberlândia, que conseguissem mais votos, ele se superou, se é possível dizer que se supera quem desce ao preconceito mais vil contra a mulher.

Em lugar de pedir que lhe conquistassem votos com argumentos e conversas políticas, sugeriu que elas fizessem um leilão de seus atributos físicos.

“Se você é uma menina bonita, tem que conseguir 15 votos. Pegue a lista de pretendentes e mande um e-mail. Fale que quem votar em mim tem mais chance com você”, pediu ele, como relata o portal UOL.

Cercado por grupos de batucada e fanfarra contratados, além de cerca de cinco ônibus vindos de Belo Horizonte com militantes, que recebem R$ 40 por dia, Serra faltou ao respeito com todas as mulheres que, a cada dia, lutam por conseguir ver reconhecida sua capacidade intelectual e política, que não é em nada inferior à dos homens.

Votar em Dilma, além de ser um ato de reconhecimento a esta luta, passou a ser algo que toda mulher e que todo homem que as respeita deve fazer contra este tipo de visão odiosamente machista, porque agride a inteligência e a dignidade de nossas mães, esposas, amigas, filhas e netas. Pergunte a uma delas se ela aceitaria fazer o que Serra sugere. Não é preciso mais para que qualquer pessoa entenda que tipo de homem é ele.

Papa Bento XVI excomungará Serra e sua esposa. Mônica Serra praticou um aborto, e Serra autorizou o aborto quando foi Ministro da Saúde de FHC

A mensagem do Papa Bento XVI sobre o aborto atinge em cheio o candidato José Serra e sua esposa, a Mônica Serra.

Quando Ministro da Saúde, José Serra autorizou a prática do aborto no SUS. Veja norma técnica do SUS (Sistema Único de Saúde), ordenando regras para fazer abortos previstos em lei, até o 5º mês de gravidez, assinada pelo então Ministro da Saúde, José Serra (clique na imagem para ampliar):





Mais detalhes AQUI

Já a Mônica Serra, a mesma que acusou Dilma de “matar criançinhas”, fez um aborto com consentimento do marido Serra durante a época em que os dois fugiram do país por causa da Ditadura Militar. A informação foi revelada por ex-alunas de Mônica Serra, então professora de dança na Unicamp, e divulgada pela colunista da Folha de São Paulo, Mônica Bergamo, na semana passada.

Veja as manchetes da imprensa na semana passada (clique na imagem para ampliar):









No R7

Com isso, a sua santidade o Papa Bento XVI, tem a obrigação moral de aplicar a excomunhão aos dois fiéis católicos José Serra e Mônica Serra. O primeiro, por ter apoiado o aborto da esposa, e a segunda, por ter assassinado em seu ventre um ser indefeso.

Santo Papa Bento XVI, em nome da moral cristã católica, excomungue estes dois pecadores da Santa e Madre Igreja. Aplique a excomunhão a esses infiéis, assim como aquele bispo de Recife e Olinda que excomungou a "diabólica" equipe médica que salvou aquela "perversa" menina de 8 anos, grávida após ser estuprada pelo próprio pai, aquele "santo homem" merecedor de nossa total compaixão.

SBT vai processar Globo por ''bolinha de papel'' em Serra

O SBT tomará medidas cabíveis contra a TV Globo por usar as imagens do Serra sendo atacado por uma bolinha de papel sem autorização

– "O SBT tomará medidas cabíveis contra a TV Globo por usar as imagens do Serra sendo atacado por uma bolinha de papel sem autorização", disse a jornalista Cynthia Benini, durante o "Jornal do SBT", referindo-se à edição do Jornal Nacional que foi ao ar na quinta-feira (21) em que foram usadas imagens da emissora de Silvio Santos em matéria sobre suposta "bolinha de papel" que teria atingido o presidenciável José Serra durante caminhada no Calçadão Campo Grande, no Rio de Janeiro (RJ).

A matéria do telejornal da Globo colocou em dúvida a afirmação do SBT que havia dito que Serra foi atingido "por um objeto branco que parece uma bola de papel". Para "desmentir" a notícia da concorrente, a Globo apresentou um segundo vídeo, de baixa qualidade, do jornal "Folha de S. Paulo", que teria registrado um objeto mais pesado atingindo o candidato tucano.

Dilma, Cristina e a “falta de um homem”

Dizem que o "macho" que se exibe assim quer compensar certas coisas...

Por Rodrigo Vianna

A morte de Néstor Kirchner levanta uma série de questões relevantes para a política da Argentina e do nosso continente. O ex-presidente, responsável pela impressionante recuperação argentina depois do fundo do poço do “corralito”, era cotado para ser o candidato a presidente do peronismo na sucessão de Cristina.

Mesmo fora da Casa Rosada, Néstor era o articulador desse bloco de centro-esquerda que, nas últimas eleições congressuais, obteve resultados abaixo do esperado. A oposição de direita, capitaneada por Macri (empresário e ex-presidente do Boca), tem o apoio da velha mídia e dos setores agrários conservadores descontentes com Cristina. Certamente, essa oposição terá muita força na sucessão em 2011.

Todas essas são questões importantes. Ok. Mas o que não dá pra aceitar é a pauta apresentada – por exemplo – pelo “Jornal da Globo”: será que Cristina dá conta de governar, sem o marido?

É de um machismo tão fora de época que a gente fica até com preguiça de discutir. Cristina não é “apenas” a “esposa” de Kirchner. Isabelita era “apenas” esposa de Peron nos anos 70. Os tempos eram outros. E deu no que deu – Isabelita (era a vice do marido e, com a morte de Perón, assumiu o poder) foi uma presidenta fraca, que abriu caminho pra ditadura.

Cristina, não! Ela militou ao lado de Nestor, contra a ditadura. Tem vida própria, luz própria. O marido tinha liderança e isso ninguém contesta, mas querer reduzir Cristina ao papel de “esposa”, ou agora “viúva”, é quase inacreditável.

Por que falo disso agora? Porque vários leitores relatam que , no telemarketing do mal aqui no Brasil, há um novo telefonema na praça. Uma voz – feminina - pergunta ao cidadão incauto: ”será que a Dilma dá conta, sem o Lula?”

O machismo é o mesmo – contra Dilma e Cristina. E eu me pergunto: em que século vivem os marqueteiros do mal e os editores do “Jornal da Globo”?

Dilma não precisou segurar na mão do Lula quando – aos 17 ou 18 anos – foi pra clandestinidade lutar contra a ditadura. Dilma não precisou do apoio de Lula quando esteve presa, nem quando resistiu aos toturadores.

Dilma tem trajetória própria. Os tucanos, por menosprezar essa verdade, acreditaram na balela vendida por mervais e jabores: “ela não resiste à campanha sem o Lula”. He, he. Machista, normalmente, leva um susto quando vê que a mulher não “precisa” de homem.

Uma coisa é reconhecer: Lula é um líder popular imensamente mais carismático que Dilma. Isso é fato. Ponto. Outra coisa é querer reduzir Dilma ao papel de “a mulher que Lula indicou”. Dilma foi secretária de Energia pelo PDT gaúcho. Lá, não havia Lula. Foi escolhida ministra por méritos próprios.

O machismo e a arrogância de Serra nos debates - ”a candidata não entende minha pergunta”, “acho que você não compreende bem” – lembram-me Maluf chamando Marta de “dona Marta”. É um machismo tosco, que se revela agora no telemarketing desesperado da reta final.

Eu – que como todo homem brasileiro – já fiz piadinha machista e já disse frases que certamente irritariam qualquer feminista, posso dizer com sinceridade: as mulheres lidam muito melhor com a ausência de um companheiro do que nós homens. É fato. Claro que há exceções. Claro que os homens estão aprendendo a - eventualmente – lidar com a solidão e com a necessidade de caminhar sozinhos.

Mas, sejamos honestos: há velhinhos que – ao perder a mulher - não resistem mais do que 1 ano. Preferem morrer. Não dão conta sozinhos. As mulheres, não. Víúvas ou divorciadas, seguem em frente. Podem até casar de novo. Mas não “precisam” de um homem na mesma medida em que o homem parece “precisar” de uma mulher.

Marqueteiros e jornalistas (homens) talvez projetem para mulheres poderosas (como Cristina e Dilma) a fragilidade e o medo que eles mesmos sentem diante da possibilidade de ficarem “sozinhos”. São marqueteiros e jornalistas que talvez tenham vontade de segurar na não da “mamãe-esposa” quando ficarem velhinhos. Nada de errado nisso. Todos nós temos nossas fragilidades – homens ou mulheres.

Cristina vai sofrer, vai sentir a falta de Néstor – como qualquer um que perde o companheiro da vida toda. Pode ganhar ou perder a sucessão. Mas isso não terá nada a ver com a ausência do “marido”.

Dilma - também – não é mulher que precise viver à sombra de homem nenhum. Não é à toa que teve como companheiro, durante tantos anos, alguém que é capaz de dar uma entrevista tão corajosa, firme – e ao mesmo tempo carinhosa – como a que podemos ler aqui.

Só um aperitivo do que disse Carlos Araújo a “O Globo”, sobre Dilma:

Quem mandava na casa?

CARLOS: Nossos parâmetros não eram esses, de quem manda, não manda. Éramos companheiros.

Não era nosso estilo um mandar no outro. Foi uma bela convivência. Tivemos uma vida boa juntos, tenho recordação boa, não é saudade.

O resto – digo eu – é machismo jornalístico. E babaquice marqueteira.

Marina repreende campanha de Serra por uso de seu nome de forma fraudulenta


A senadora Marina Silva (PV-AC) criticou, hoje, duramente os setores do PSDB que promoveram iniciativas fraudulentas de envolvê-la em ações de apoio à candidatura de José Serra.

“Não usem meu nome para o vale-tudo eleitoral”, advertiu Marina ao tomar conhecimento de um endereço de e-mail falso (marina@pv.gov.br) e de um post do blog Eu Vou de Serra 45 que manipula declarações dadas por ela durante a campanha do primeiro turno.

“Infelizmente, muitos não aprenderam nada com os resultados das urnas e continuam a promover a política de mais baixo nível ao usar estratagemas banais para buscar votos”, declarou a ex-presidenciável do PV.

O e-mail com o remetente marina@pv.gov.br é direcionado aos simpatizantes de Marina e contém mensagem em nome da senadora e do PV com pedido para que se unam em torno da candidatura de Serra.

Por sua vez, o blog da militância tucana lança mão de declaração da então candidata verde à Presidência de forma descontextualizada para fazer seu proselitismo eleitoral. “Marina se posiciona: Brasil não pode ser entregue a quem conhece”, afirma inadvertidamente a divulgação dos defensores do ex-governador de São Paulo.

“Estamos no final do segundo turno, e os brasileiros já tiveram acesso a muitas informações sobre os candidatos à Presidência. Não há mais desconhecidos. O eleitor vai às urnas consciente da sua escolha e não sujeitará a formação de sua opinião àqueles que usam artifícios ingênuos para distorcer a realidade”, afirmou Marina.

A senadora voltou a manifestar o posicionamento que ela e o Partido Verde tornaram público desde o último dia 17 de outubro sobre a fase final da disputa presidencial: independência em relação a Dilma e Serra.

“Os quase 20 milhões de brasileiros que endossaram meu projeto e o de Guilherme Leal no primeiro turno sabem que o respeito ao eleitor é um princípio inquestionável na nossa prática política, o que nos diferencia daqueles que querem o poder pelo poder”, concluiu Marina Silva.


quarta-feira, 27 de outubro de 2010

Repercussão no mundo animal: Desmatamento zero na Amazônia

O Serra prometeu “desmatamento zero” na Amazônia, mas tem o DEM como seu aliado, o partido que tem mais políticos, fazendeiros e simpatizantes envolvidos no desmatamento da Amazônia e na exploração de trabalho escravo no país. O dep. Ronaldo Caiado do DEM que o diga, não é Serra?
Assista ao vídeo de apenas 35 segundos mostrando a repercussão estrondosa no mundo animal sobre o trololó de Serra no último debate na Record. Divirta-se! Mas, não sei se é para rir ou chorar... Ou os dois !


Vídeo copiado do Cloacanews

Parabéns Presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Você é o cara!

Serra provoca um buraco nos cofres públicos


Licitação aberta dois anos atrás por ordem do governador paulista, José Serra (PSDB), cancelada e retomada há seis meses pelo sucessor dele, o também tucano Alberto Goldman, foi suspensa ontem. O motivo agora foi a denúncia, do jornal Folha de São Paulo, de que conhecia desde abril o resultado oficialmente anunciado quinta-feira para a licitação de seis lotes de uma nova linha do metrô paulistano, no valor total de R$ 4,04 bilhões.

Em reportagem publicada na edição de ontem, a Folha revelou que havia registrado em cartório e publicado na internet, em abril, quais empresas e consórcios venceriam o processo licitatório. O registro, segundo o jornal, foi feito três dias antes de que Goldman suspendesse a licitação pela primeira vez e mandasse as empresas refazerem suas propostas.

”O governador Alberto Goldman solicitou ao Ministério Público Estadual que realize uma investigação quanto à denúncia de que os vencedores da licitação dos lotes 3 a 8 para implantação da extensão da Linha 5-Lilás do Metrô já eram conhecidos antecipadamente”, diz nota divulgada pelo governo estadual. Goldman também teria ordenado ao Metrô e à Corregedoria Geral da Administração que apurem o caso.

Responsável pela abertura do processo de licitação, em outubro de 2008, o então governador e atual presidenciável José Serra tratou de defender-se e de defender a companhia do metrô. Em sua própria defesa, alegou que os problemas ocorreram quando ele já havia renunciado ao cargo para concorrer à Presidência. A alegação é falsa. Já em defesa da companhia do metrô, Serra disse que não acreditava em direcionamento na licitação, mas que pode ter acontecido um acordo entre as construtoras.
 

Que Tuma fique, para sempre, na nossa memória

Romeu Tuma faleceu no conforto do Hospital Sírio-Libanês, como senador da República e com poder político (ainda que declinante), enquanto muitos opositores da ditadura militar, que ele defendeu, amargaram a escuridão das celas e o desaparecimento. Manteve cativa uma legião de fãs, parte dela saudosa de uma época em que a liberdade tinha que prestar continência para poder passar. E plantou sementes que se mantiveram após a redemocratização, pois o Brasil segue vasto em terreno fértil para intolerância.

Respeito o sofrimento de sua família. Mas todos – políticos, jornalistas, cientistas sociais – os que foram críticos a ele em vida não podem se atirar na estúpida condescendência para com os mortos, seja atrás de sua herança eleitoral, seja em nome de uma demagogia barata ou do apaziguamento tupiniquim. Não nos esqueçamos que ele dirigiu o Departamento de Ordem Política e Social (Dops) durante a ditadura, instituição que moeu gente contrária aos verde-oliva e ao “Ame-o ou Deixe-o” dos anos de chumbo. Isso só para citar um ponto de sua controversa biografia, agora incensada.

Lembrar é fundamental para que não deixemos certas coisas acontecerem novamente. Que a história do delegado/senador seja contada e comentada como ela realmente foi, sem os retoques bonitos dos discursos políticos que começaram a florescer na tarde desta terça.

PS: Ao menos, Tuma era um rosto conhecido, público. Quantos outros delegados de órgãos de repressão da ditadura, sem contar torturadores, seguem anônimos, protegidos pela Lei da Anistia?

Dilma Rousseff simboliza o Estado do bem-estar social – Por isso meu voto é para Dilma


A eleição para presidente do Brasil não se resume a uma batalha DILMA x SERRA, mas uma escolha de que tipo de Estado que os brasileiros querem. Dilma representa a filosofia do Estado do bem-estar social, tão levado a sério pelo Governo Lula. No Estado que prioriza o bem-estar social o ser humano é a finalidade, sendo o Estado meio para o bem-comum e a felicidade humana de cada pessoa.

O Estado do bem-estar social fruto da nova concepção depois da Revolução Mexicana e dos intensos conflitos ocorrido na Alemanha, que assinalaram o perfil de um novo Estado, deu margem a novas constituições, voltadas para defesa e efetivação dos direitos sociais, pondo fim ao Estado Liberal que tinha apenas dois deuses: MANUTENÇÃO DA PROPRIEDADE PRIVADA E O LUCRO. O ser humano apenas meio em tal realidade. Esta concepção é a que o José Serra representa.

O Estado do bem-estar social, além de manter os direitos civis e políticos, que são os direitos de 1ª dimensão, tratando das liberdades individuais (...direito de ir e vir, liberdade de expressão, devido processo legal, direito de defesa, liberdade de religião, direito à associação...) , também imposição de revoluções protagonizadas pelo povo, também garante os direitos econômicos, sociais, culturais e ambientais.

Podem ser citados como exemplos de direitos sociais, todos na Constituição Federal: direito à saúde, à educação, à segurança, à aposentadoria, à moradia, proteção à infância, ao idoso, à maternidade, programas sociais... tudo proporcionado pelo Estado do bem-estar. Não se restringindo apenas em efetivar os direitos de primeira e segunda geração. Mas também interferindo na economia, agindo como empresário em áreas que o setor privado jamais investiria, equilibrando, buscando erradicar a miséria, a pobreza, toda forma de discriminação. Apoiando o progresso e ao mesmo tempo preservando o meio ambiente, protegendo a propriedade, desde que priorizada sua função social.

Quem quiser aprofundar-se no tema basta ler, começando do preâmbulo, os 17 primeiros artigos, com parágrafos e incisos da Constituição Federal, que contém os princípios fundamentais, que são as prioridades para governos que se norteiam pelo o Estado do bem-estar social, que foi o caso do Governo Lula, que tem que ter continuidade com o Governo Dilma Rousseff.

DILMA REPRESENTA REALMENTE A CONTINUIDADE DO GOVERNO LULA E QUE GOVERNO! POIS HOUVE UMA TOTAL MUDANÇA DO ESTADO NEOLIBERAL DE FERNANDO HENRIQUE CARDOSO, ONDE VENDERAM TUDO EM DEFESA DO MERCADO E DOS EMPRESÁRIOS, em detrimento do interesse público e do bem-estar coletivo. Num fácil discurso de privatização. Claro que não é papel do Estado ser empresário, porém mais claro ainda que não é papel do Estado entregar tudo que é do povo e deixar em segundo plano esse mesmo povo, sobretudo os excluídos.

ELEGER SERRA É A VOLTA DA CONCEPÇÃO DE ESTADO, ONDE O CAPITAL TERÁ PRIORIDADE E O HUMANO SERÁ COMPLETAMENTE ESQUECIDO.

O Neoliberalismo representado por José Serra sempre agiu de forma silenciosa. Alguns exemplos: esvaziando os direitos sociais através de sucessivas emendas constitucionais, deixando de votar leis complementares sem as quais princípios constitucionais se tornaram ineficazes, estatizando empresas públicas, abrindo oportunidades para uma economia e um mercado financeiro sem qualquer ética, sem nenhuma solidariedade, sem fiscalização, atuando contra o contido no artigo 3º e incisos da Constituição Federal. Na verdade a tese final do neoliberalismo é que o mercado se auto-regulamenta. Voltando-se ao Estado mínimo, protetor não dos direitos humanos de todas as dimensões, mas protetor do capital, do interesse dos empresários.

ELEGER DILMA é defender o Estado do bem-estar social, é defender o constitucionalismo social, a justiça social, onde o coletivo prevalecerá sobre o individualismo, sobre interesses de grupos; onde realmente a propriedade respeite o social, sobretudo o meio ambiente; onde o emprego e o salário mínimo sejam garantidos, valorizados, materializando o direito à vida e à dignidade humana; onde saúde, educação, segurança e outros direitos fundamentais serão prioridades. Construindo-se, assim, uma sociedade realmente justa, humana, solidária, como a prevista no preâmbulo da Constituição Brasileira.

POR ISSO QUE VOTO EM DILMA, POR ISSO QUE DILMA DEVE SER ELEITA, POR ISSO QUE O GOVERNO LULA, O GOVERNO QUE ALICERÇOU A CONCEPÇÃO DO ESTADO DO BEM-ESTAR SOCIAL VERDADEIRAMENTE NO BRASIL DEVE TER CONTINUIDADE ATRAVÉS DE DILMA, QUE SIMBOLIZA UMA FILOSOFIA DE ESTADO, UMA ESPERANÇA PARA A GRANDE MAIORIA EXCLUÍDA DO POVO BRASILEIRO, GRANDE BENEFICIÁRIA DO GOVERNO LULA. DEVEMOS DIZER NÃO AO NEOLIBERALISMO PERSONIFICADO PELO OUTRO CANDIDATO. PODEMOS FAZER PELO VOTO AQUILO QUE OS FRANCESES E RUSSOS TIVERAM QUE FAZER ATRAVÉS DE REVOLUÇÕES E DE MUITO SANGUE, ALÉM DE EVITAR UM TERRÍVEL RETROCESSO!

PRECISAMOS FAZER DE DILMA A FUTURA PRESIDENTE DO BRASIL, ATRAVÉS DE UM VOTO RESPONSÁVEL NAS ELEIÇÕES DO DIA 31 DE OUTUBRO DE 2010, O DIA QUE O POVO BRASILEIRO TERÁ DITO NÃO, DEFINITIVAMENTE, AO NEOLIBERALISMO. POR ISSO O SEU VOTO É UM VOTO HISTÓRICO, QUE DEVE SER UTILIZADO PARA GARANTIR O FUTURO, QUE NASCE DO PRESENTE, NÃO COMO PASSAPORTE PARA UM TERRÍVEL RETROCESSO! NÃO CAMINHEMOS PARA TRÁS!

Maracutaia no Metrô e Serra finge que não é nada?



Será que o José Serra acha que todo mundo é burro? Será que ele acha que uma dúzia de grandes empreiteiras de obras ia combinar sozinha quem ia pegar cada pedacinho dos 20 quilômetros da linha 5 do metrô de São Paulo sem que ninguém do Governo ficasse sabendo? E ainda iam fazer isso reduzindo os preços para ganharem menos na obra?

Que história é essa de dizer que ele não tem nada com isso por ele não ser governador se a licitação foi aberta e “acertada” entre as empreiteiras enquanto ele estava no Palácios dos Bandeirantes?

Tenha paciência, né?! Primeiro, o senhor não conhecia o Sr. Paulo “Obscuro”. Agora, o senhor quer que a gente acredite que ninguém da sua equipe teve nada a ver com a maracutaia de R$4 bilhões da obra do metrô?

O senhor acha que a opinião pública é um bando de beócios?

Como é que o senhor vai dizer que “direcionamento” da licitação não houve? Assim, de plano, sem investigação? O senhor acha que as coisas são assim como fez com Paulo Preto, bastando dizer “não foi ele” e está tudo resolvido?

Mesmo que não tenha sido por ordem sua, o que garante que não foi um dos seus auxiliares que comandou esse arranjo indecoroso? E o que dizer de sua cara de pau em afirmar que “em todo caso isso transcorreu depois da minha saída”?

Quando a Folha de S. Paulo registrou em cartório o resultado da licitação quando o senhor se encontra na plenitude de seus poderes no Palácio dos Bandeirantes.

Pode haver dúvida do seu envolvimento, Sr. Serra. E o senhor, como toda pessoa, tem o direito ao princípio da presunção da inocência. Não é possível, mesmo diante da fraude em uma licitação, acusar ninguém de corrupto sem provas como , aliás, o senhor faz a torto e a direito com os outros.

Mas do cinismo, isso sim, o senhor já dá provas cabais, mesmo sem qualquer investigação. A sua cara de pau excede e muito àquela que a população, infelizmente, se acostumou a ver nos políticos.

A bancada do PDT na Assembleia de São Paulo está coletando assinaturas para abertura de uma CPI para investigar está manipulação de resultados. Vamos ver se não será mais uma das dezenas de CPI’s que os governos tucanos, especialmente o seu, impediram que fossem instaladas. Em relação aos seus adversários, o senhor sabe exigir a apuração célere, imediata, impiedosa. Não há problema. Quem se corrompeu que pague por isso. Agora, como dizia minha vó, macaco olha o seu rabo. Aliás, macaco não, tucano!


Clique aqui e saiba mais sobre o escândalo das licitações no metrô de Serra

De Carlos Moura, com carinho, para Noblat


Publico a carta aberta de Carlos Moura (aposentado, fotógrafo, redator de jornal de interior, sócio de uma pequena editora de livros clássicos e coordenador da Ação da Cidadania em Além Paraíba-MG) para o jornalista de “O Globo” Ricardo Noblat.

===

Noblat

Quem é você para decidir pelo Brasil (e pela História) quem é grande ou quem deixa de ser? Quem lhe deu a procuração? O Globo? A Veja? O Estadão? A Folha?

Apresento-me: sou um brasileiro. Não sou do PT, nunca fui. Isso ajuda, porque do contrário você me desclassificaria, jogando-me na lata de lixo como uma bolinha de papel. Sou de sua geração. Nossa diferença é que minha educação formal foi pífia, a sua acadêmica. Não pude sequer estudar num dos melhores colégios secundários que o Brasil tinha na época (o Colégio de Cataguases, MG, onde eu morava) porque era só para ricos. Nas cidades pequenas, no início dos sessenta, sequer existiam colégios públicos. Frequentar uma universidade, como a Católica de Pernambuco em que você se formou, nem utopia era, era um delírio.

Informo só para deixar claro que entre nós existe uma pedra no meio do caminho. Minha origem é tipicamente “brasileira”, da gente cabralina que nasceu falando empedrado. A sua não. Isto não nos torna piores ou melhores do que ninguém, só nos faz diferentes. A mesma diferença que tem Luis Inácio em relação ao patriciado de anel, abotoadura & mestrado. Patronato que tomou conta da loja desde a época imperial.

O que você e uma vasta geração de serviçais jornalísticos passaram oito anos sem sequer tentar entender é que Lula não pertence à ortodoxia política. Foi o mesmo erro que a esquerda cometeu quando ele apareceu como líder sindical. Vamos dizer que esta equipe furiosa, sustentada por quatro famílias que formam o oligopólio da informação no eixo Rio-S.Paulo – uma delas, a do Globo, controlando também a maior rede de TV do país – não esteja movida pelo rancor. Coisa natural quando um feudo começa a dividir com o resto da nação as malas repletas de cédulas alopradas que a União lhe entrega em forma de publicidade. Daí a ira natural, pois aqui em Minas se diz que homem só briga por duas coisas: barra de saia ou barra de ouro.

O que me espanta é que, movidos pela repulsa, tenham deixado de perceber que o brasileiro não é dançarino de valsa, é passista de samba. O patuá que vocês querem enfiar em Lula é o do negrinho do pastoreio, obrigado a abaixar a cabeça quando ameaçado pelo relho. O sotaque que vocês gostam é o nhém-nhém-nhém grã-fino de FHC, o da simulação, da dissimulação, da bata paramentada por láureas universitárias. Não importa se o conteúdo é grosseiro, inoportuno ou hipócrita (“esqueçam o que eu escrevi”, “ tenho um pé na senzala” “o resultado foi um trabalho de Deus”). O que vale é a forma, o estilo envernizado.

As pessoas com quem converso não falam assim – falam como Lula. Elas também xingam quando são injustiçadas. Elas gritam quando não são ouvidas, esperneiam quando querem lhe tapar a boca. A uma imprensa desacostumada ao direito de resposta e viciada em montar manchetes falsas e armações ilimitadas (seu jornal chegou ao ponto de, há poucos dias, “manchetar” a “queda” de Dilma nas pesquisas, quando ela saiu do primeiro turno com 47% e já entrou no segundo com 53 ) ficou impossível falar com candura. Ao operário no poder vocês exigem a “liturgia” do cargo. Ao togado basta o cinismo.

Se houve erro nas falas de Lula isto não o faz menor, como você disse, imitando o Aécio. Gritos apaixonados durante uma disputa sórdida não diminuem a importância histórica de um governo que fez a maior revolução social de nossa História. E ainda querem que, no final de mandato, o presidente aguente calado a campanha eleitoral mais baixa, desqualificada e mesquinha desde que Collor levou a ex-mulher de Lula à TV.

Sordidez que foi iniciada por um vendaval apócrifo de ultrajes contra Dilma na internet, seguida das subterrâneas ações de Índio da Costa junto a igrejas e da covarde declaração de Monica Serra sobre a “matança de criancinhas”, enfiando o manto de Herodes em Dilma. Esse cambapé de uma candidata a primeira dama – que teve o desplante de viajar ao seu país paramentada de beata de procissão, carregando uma réplica da padroeira só para explorar o drama dos mineiros chilenos no horário eleitoral – passou em branco nos editoriais. Ela é “acadêmica”.

A esta senhora e ao seu marido você deveria também exigir “caráter, nobreza de ânimo, sentimento, generosidade”.

Você não vai “decidir” que Lula ficou menor, não. A História não está sendo mais escrita só por essa súcia de jornais e televisões à qual você pertence. Há centenas de pessoas que, de graça, sem soldos de marinhos, mesquitas, frias ou civitas, estão mostrando ao país o outro lado, a face oculta da lua. Se não houvesse a democracia da internet vocês continuariam ladrando sozinhos nas terras brasileiras, segurando nas rédeas o medo e o silêncio dos carneiros.

Carlos Torres Moura

Além Paraíba-MG

1 ano após queda das vigas do Rodoanel, consórcio e Dersa do Paulo Preto e Serra não foram punidos

Às vésperas de completar um ano do desabamento de vigas durante a construção do trecho sul do Rodoanel, a Promotoria aguarda laudos do IML (Instituto Médico Legal) para definir a responsabilização criminal de engenheiros ligados à obra.A tendência é que só dois profissionais do consórcio Rodoanel Sul 5 Engenharia, contratado pela Dersa (estatal paulista de José Serra ), sejam processados pelo acidente. A definição pode sair este ano.


Na esfera administrativa, a promotora Andréa Chiaratti já arquivou a apuração de eventual improbidade.

Segundo Chiaratti, não foram encontradas irregularidades que tivessem levado ao desabamento -que deixou três feridos.

O engenheiro da Dersa que comandava a obra era Paulo Vieira de Souza, conhecido como Paulo Preto e que foi afastado da estatal neste ano pelo governador Alberto Goldman (PSDB).Laudos do Instituto de Pesquisas Tecnológicas e do Instituto de Criminalística viram falhas para fixar as vigas que depois caíram.

Segundo a apuração do IPT, elas foram instaladas sobre uma superfície não horizontal, sujeitas a deslizar, faltava uma rugosidade para garantir atrito, além de um sistema de travamento.

O inquérito da Polícia Civil responsabilizou dois engenheiros ligados ao consórcio -Olímpio Eugênio Fernandes Silva e Anderson Canejo- por desabamento culposo (sem intenção).

A promotora Fabiana Sabaine, de Embu (Grande SP), vai decidir se denuncia os dois pelo acidente e sob qual acusação. Se a ação for por acidente culposo, ela deverá tramitar num juizado especial para casos de menor potencial ofensivo. Nessa situação, a pena é inferior a dois anos.

Desespero tucano é isso...


Do Juntos Somos Fortes

No Com Texto Livre

Auditoria mostra que tucanos desviaram R$ 400 milhões do SUS em São Paulo


O dinheiro deveria ter sido usado para garantir remédios de graça para 40 milhões de cidadãos do estado de São Paulo, mas desapareceu na contabilidade dos governos do PSDB nos últimos 10 anos. Por recomendação dos auditores, com base na lei, o governo paulista terá que explicar onde foram parar essas verbas do SUS e, em seguida, ressarcir a União pelo prejuízo. Quando assumir, pela terceira vez, o governo de São Paulo em 1º de janeiro de 2011, o tucano Geraldo Alckmin terá que prestar contas desse sumiço. O artigo é de Leandro Fortes, da Carta Capital.

Leandro Fortes - Carta Capital


Quando assumir, pela terceira vez, o governo do estado de São Paulo em 1º de janeiro de 2011, o tucano Geraldo Alckmin terá que prestar contas de um sumiço milionário de recursos federais do Ministério da Saúde dimensionado, em março passado, pelo Departamento Nacional de Auditoria do Sistema Único de Saúde (Denasus). O dinheiro, quase 400 milhões de reais, deveria ter sido usado para garantir remédios de graça para 40 milhões de cidadãos, mas desapareceu na contabilidade dos governos do PSDB nos últimos 10 anos. Por recomendação dos auditores, com base na lei, o governo paulista terá que explicar onde foram parar essas verbas do SUS e, em seguida, ressarcir a União pelo prejuízo.

O relatório do Denasus foi feito a partir de auditorias realizadas em 21 estados. Na contabilidade que vai de janeiro de 1999 e junho de 2009. Por insuficiência de técnicos, restam ainda seis estados a serem auditados. O número de auditores-farmacêuticos do País, os únicos credenciados para esse tipo de fiscalização, não chega a 20. Nesse caso, eles focaram apenas a área de Assistência Farmacêutica Básica, uma das de maior impacto social do SUS. A auditoria foi pedida pelo Departamento de Assistência Farmacêutica (DAF), ligado à Secretaria de Ciência e Tecnologia do Ministério da Saúde, para verificar denúncias de desvios de repasses de recursos do SUS para compra e distribuição de medicamentos nos sistemas estaduais de saúde.

O caso de São Paulo não tem parâmetro em nenhuma das demais 20 unidades da federação analisadas pelo Denasus até março de 2010, data de fechamento do relatório final. Depois de vasculhar todas as nuances do modelo de gestão de saúde estadual no setor de medicamentos, os analistas demoraram 10 meses para fechar o texto. No fim das contas, os auditores conseguiram construir um retrato bem acabado do modo tucano de gerenciar a saúde pública, inclusive durante o mandato de José Serra, candidato do PSDB à presidência.

No todo, o período analisado atinge os governos de Mário Covas (primeiro ano do segundo mandato, até ele falecer, em março de 2001); dois governos de Geraldo Alckmin (de março de 2001 a março de 2006, quando ele renunciou para ser candidato a presidente); o breve período de Cláudio Lembo, do DEM (até janeiro de 2007); e a gestão de Serra, até março de 2010, um mês antes de ele renunciar para disputar a eleição.

Leia a matéria completa AQUI

Fonte: Carta Maior

Nações Unidas reiteram condenação do bloqueio dos EUA a Cuba


A Assembleia Geral de Nações Unidas emitiu nesta terça-feira (26) sua décima nona condenação contra o bloqueio imposto pelos Estados Unidos a Cuba há 48 anos e exigiu seu levantamento.O repúdio ao cerco imposto pelo imperialismo foi sancionado pelo plenário do maior foro da comunidade internacional por 187 votos a favor, dois contra e três abstenções.

As votações contra o bloqueio começaram em 24 novembro de 1992 quando a 47ª sessão ordinária do órgão aprovou por 59 votos a favor, três contra e 71 abstenções a primeira resolução nesse sentido.

Desde então a Assembleia tem aprovado a cada ano uma resolução intitulada “Necessidade de pôr fim ao bloqueio econômico, comercial e financeiro imposto pelos Estados Unidos da América contra Cuba”. Arrogante, a Casa Branca faz ouvidos moucos ao clamor do mundo e mantém o criminoso bloqueio, que traz enormes prejuízos à Ilha, com o objetivo malfadado de punir e derrotar a revolução.

Com informações da Prensa Latina

Do Vermelho

Procura-se, viva ou amassada


Do Vi O Mundo

terça-feira, 26 de outubro de 2010

Serra defendeu a Petrobrax do PSDB. E quer privatizar a Petrobras do Brasil


O Conversa Afiada republica texto do blog Amigos do Presidente Lula – aquele que a Dra Cureau tentou calar:


Serra defendeu a Petrobrax do PSDB…E quer privatizar a Petrobras do Brasil
.
Serra, o homem do trololó e do chororô. Ontem no debate partiu para o ataque, foi agressivo e sem educação. Pior, mostra que não respeita mulher. Novidade? Nenhuma. Nem a própria mulher ele defendeu no debate passado. Serra levou a levou a pior. Dilma mostrou que está preparada para presidir o Brasil. Serra nada respondeu, enrolou o tempo todo.

“Agora, quando Serra falar de Cardeal, a Dilma pode falar que o governo francês investiga o caso Alston”. No final, Serra agradeceu a presença da Dilma, mas sua própria presença não aconteceu. Mostrou ser um candidato totalmente sem conteúdo e não conseguiu se defender quando acusado de querer privatizar a Petrobras. Na área de segurança Serra nada mostrou e ainda esqueceu que o PCC dominou São Paulo governando o estado.


Quem disse que a Petrobras não mudou de nome? Serra é mentiroso!
.
“Petrobrax”: a marca do Brasil Tucano Pefelista”

Um dos momentos mais tristes do governo tucano pefelista de FHC foi sua tentativa de iniciar um processo de privataria contra o maior patrimônio público brasileiro: a Petrobrás.


A sociedade civil se levantou impedindo mais este crime lesa-pátria. O jornalista Janio de Freitas, em janeiro de 2001, denunciava. “A necessidade comercial de mudança do nome Petrobras para PetroBrax em nada serviria às atividades da Braspetro e aos produtos BR. Mas, os fantásticos R$ 100 milhões constituiriam um negócio com muitas serventias. Como os R$ 2,7 milhões que, em acesso de modéstia, a ‘consultoria de comunicação’ diz ter gasto na operação frustrada.”


Ainda, Janio: “O acionista majoritário e controlador da Petrobras é o Estado, logo, o uso dos recursos financeiros da estatal interessa ao patrimônio público e ao Tesouro Nacional. Parlamentares, Tribunal de Contas da União e, se acionado, o Ministério Público são encarregados de verificar o que o governo e seus prepostos fazem com o dinheiro público em poder da Petrobras e de estatais em geral.”

.

Leia aqui, aqui e aqui só clippings dos jornais e veja; A Petrobras de Serra, FHC e PSDB, era chamada na época de “Escândalobrás”.

Clique aqui para ver o vídeo: “Dilma massacra sobre o pré-sal e pendura Lucas no pescoço de Serra”.

Torpedão 159: Novas ferramentas no blog

Olá caros leitores e leitoras do blog, colocamos a disposição de vocês novas ferramentas para facilitar a divulgação de postagens do nosso blog. Ao final de cada texto, você encontrará vários ícones de sites de relacionamento como o Twitter, o Facebook, e ainda uma “cartinha” para você enviar postagens aos seus contatos de e-mails. Estamos reorganizando o nosso blog aos poucos, e em breve mudaremos também o layout. Com isso, vocês ficarão livres desta “cara” no cabeçalho, até porque está desatualizada, pois a fotografia não condiz mais com a realidade. Desculpe novamente a redundância, mas estamos ficando velhos e barrigudos, não sei se é por causa de uma cervejinha aqui ou acolá (risos). Então, é só clicar nos ícones ao final de cada postagem e enviar as informações publicadas no blog.

Pastorais da Juventude Católica do Brasil publicam manifesto em apoio a DILMA e conclamam os jovens a não votarem em Serra, pois o tucano representa o retrocesso para o país

Jovens Católicos sobre o Processo Eleitoral

O processo eleitoral nos desafia a refletir sobre que tipo de projeto de desenvolvimento se coloca para a sociedade brasileira, em especial para a juventude. A despeito dos largos passos dados nos últimos anos na construção da pluralidade religiosa e no combate a intolerância, temos assistido no Brasil um processo fundamentalista de criminalização da atividade política de quem, a partir da fé e do envolvimento comunitário, quer transformar a realidade. Ao mesmo tempo, este processo cria uma indevida utilização dos preceitos religiosos para o benefício de uma candidatura escondendo, por trás do discurso da moral, a posição política daqueles que querem de volta o conservadorismo e a lógica neoliberal para o centro do comando do executivo federal do país.

Assim como dezenas de intelectuais, agentes de pastoral, bispos, padres, religiosos e religiosas nós, jovens católicos abaixo-assinados, posicionamo-nos em defesa de um Brasil justo, livre e igualitário e combatemos o retrocesso conservador representado pela candidatura do tucano José Serra (PSDB). Sabemos a partir do que fez à frente do poder público como Prefeito de São Paulo, Governador e Ministro do governo FHC que, apesar da pele de cordeiro, o candidato tucano representa o retorno ao receituário neoliberal, ao achatamento do salário mínimo, às privatizações, ao tratamento truculento aos movimentos sociais e às grandes taxas e impostos, além de tratar a juventude e os demais temas sociais que nos atingem direta ou indiretamente como casos de polícia, e não como base para políticas públicas específicas. Em outras palavras, o desrespeito à vida, à dignidade humana e a paz!

Recordamo-nos das grandes lutas travadas pelos movimentos populares contra os desmandos da Era FHC e, por isso, temos clareza de que um eventual Governo José Serra significaria grandes prejuízos às políticas de juventude, com fechamento dos espaços de diálogo com as organizações juvenis, redução dos recursos para os programas sociais e fortalecimento das políticas repressivas, com a caracterização de políticas de extermínio da juventude, notadamente a juventude negra. Além disso, a proposta de redução da maioridade penal, criminalizadora da juventude, que ataca os efeitos e não as causas, ainda hoje vigente no Senado, amplamente combatida pelos movimentos de juventude, pelas igrejas, pela CNBB e pela própria Conferência Nacional de Juventude, parte dos aliados conservadores do PFL/DEM que estão como vice na chapa de Serra.

Ao contrário do que vivemos no governo FHC assistimos no governo Lula a uma série de avanços no conjunto das políticas sociais e no diálogo com as organizações populares. Com forte colaboração da ministra Dilma Roussef a juventude brasileira participou de um importante processo de consolidação das políticas de juventude com a criação da Secretaria e do Conselho Nacional da Juventude, a realização da I Conferência Nacional de Políticas Juventude e recente aprovação da PEC da Juventude que assegura no texto da Constituição os/as jovens como sujeitos de direitos. Os próximos passos, que não podem ser ameaçados por um retrocesso, são a consolidação do Estatuto Nacional de Juventude e do Plano Nacional de Juventude.

A juventude católica abaixo-assinada saúda a candidata Dilma Roussef pela sua posição clara em defesa da dignidade humana, em defesa da juventude e compreende que em seu governo assistirá a continuidade de políticas como o PROJOVEM, PROUNI e Praças da Juventude, ao contrário das práticas dos governos de Serra (como prefeito e governador de São Paulo), marcados pelo autoritarismo e pela repressão ao movimento social.

Não podemos nos calar diante da leviana utilização do discurso religioso como forma de ofender a candidata Dilma Roussef. É evidente o respeito de Dilma aos valores cristãos, à unidade na diversidade, a dignidade da pessoa humana e a defesa da juventude. Acreditamos que a sua história se confunde com a luta pela democracia, pela liberdade religiosa e pela liberdade de imprensa. Não podemos acreditar na enxurrada de mentiras divulgadas diariamente com interesse de difamar a candidata.

Precisamos assumir com ousadia o nosso desafio militante e lançarmo-nos numa grande rede contra a mentira e defesa da juventude. Dilma concretiza, na presidência, a opção preferencial que vivemos enquanto comunidade católica na América Latina: a opção por todos e todas, especialmente por aqueles/as que mais precisam, os/as pobres e os/as jovens. Converse com seus colegas, amigos/as, vizinhos/as, colegas de trabalho e comunidade. Acesse o site http://www.dilma13.com.br/ e veja a versão verdadeira das muitas mentiras divulgadas pela internet, enfim, vamos as urnas eleger Dilma 13 e continuar nas ruas em trincheira por um Brasil livre, soberano e democrático.

Sou católico, Sou Jovem, Sou Dilma! No dia 31 de outubro vote 13!

Brasil, 18 de outubro de 2010.

Confira no Blog Vi o Mundo a lista das quase 300 lideranças das Pastorais da Juventude Católica do Brasil que assinam o manifesto em apoio a DILMA.
Clicky Web Analytics