domingo, 17 de outubro de 2010

Arcebispo do Rio proíbe panfletos, critica propaganda nas missas e recomenda imparcialidade

O arcebispo do Rio, Dom Orani João Tempesta, disse que não vai tolerar a propaganda política dentro das igrejas. Depois de celebrar missa para cerca de 3 mil fiéis na Catedral Metropolitana, no Centro do Rio, Dom Orani exortou os católicos a terem cautela com as “coisas que não são da Igreja”. O objetivo é evitar uma ‘guerra santa’, gerada pelo clima político das eleições para a Presidência da República.
.
O arcebispo afirmou que a Igreja não permite a propaganda política dentro dos templos e recomendou cautela aos fiéis. “Tomem cuidado com o que sai (nos jornais) sobre eleições e a Igreja Católica, que o arcebispo disse isso, que o arcebispo autorizou, sobre coisas que não são da Igreja. Qualquer dúvida, procurem saber se é verdade com o vigário episcopal”, aconselhou o arcebispo.
.
Em sua página na Internet (www.arquidiocese.org.br), no link “Orientações para o eleitor no segundo turno”, a Arquidiocese recomenda aos católicos “imparcialidade e incentivo ao voto”. A nota diz que em diversos encontros com representantes e lideranças de partidos políticos, Dom Orani Tempesta tem reforçado a posição da Igreja Católica. “A Igreja incentiva a participação política de todos os fiéis e se preocupa em oferecer critérios para que possam escolher seus candidatos, de forma livre e consciente, em conformidade com a doutrina social da Igreja”, diz a nota.
.
O texto ressalta que religiosos ou qualquer outro membro da Igreja Católica estão desautorizados de pedir votos para quem quer que seja: “A Arquidiocese recorda a importância da escolha individual, que deve ser feita por cada fiel cristão”, diz o texto. (Do jornal O Dia)
.

Um comentário:

Francisco disse...

Depois que a imprensa mostrou panfletos com símbolos da CNBB e o Silas Malafaia fazendo propaganda para o hipócrita Zémentirososserra,vejo que isso tudo virou um grande negócio.A teoria religiosa que pregam raras vezes são colocadas em prática.O que estamos vendo são benesses sendo recolhidas para terem conforto em seu abrigos que mais se parecem palacetes,com inúmeros empregados,veículos caros nas garagens e assim por diante.Se o Brasil mudou para os pobres a religião também passou a ser de interesse particular de líderes religiosos avessos à justiça social pregadas no livro Sagrado.O fim dos tempos é chegado pela postura partidária das igrejas de modo geral.

Clicky Web Analytics